sexta-feira, 27 de maio de 2016

“Terapia” do quebra-cabeça é ótima para combater a ansiedade
Postado em 19 de agosto de 2015 por Fleurdelisa
Estava me sentindo um pouco tensa ultimamente devido à uma morte na
família do meu marido, e ele tem estado muito estressado. Então eu comecei outro quebra-cabeça.
Quebra-cabeças  são tão relaxantes. Eles nunca falham em colocar a minha  no lugar de novo. Eles me forçam a concentrar toda a minha atenção em uma coisa específica, assim não há espaço para a minha mente vagar livremente e criar problema.
Eles não apenas acalmam a mente … eles aquietam a mente... e isso é algo que nós precisamos desesperadamente. A tagarelice continua em nossas cabeças está sempre presente. É como ter uma criança ranzinza de três anos de idade puxando a perna da nossa calça o dia todo. Os quebra-cabeças são uma forma de colocar essa criança para dormir e ter alguma paz momentânea.
Eu, geralmente, passo meia hora por vez montando eles, e quando termino, é como se o botão de “reset”  tivesse sido apertado, e então posso me esforçar  naquilo que está próximo com uma perspectiva muito mais fresca.
Sabe o que mais eu adoro em relação aos quebra-cabeças? Eles podem se tornar parte de sua vida familiar em um sentido mais amplo.
Nem sempre estou montando um quebra-cabeça, mas quando estou,  geralmente,  coloco-o em minha mesa de jantar, (ninguém mais come lá mesmo),  e toda vez que estou ficado frustrada, ou sobrecarregada, eu digo: “Mamãe vai trabalhar em seu quebra-cabeça um pouco.” Então, pego uma xícara de chá, assento à mesa para olhar pela janela, e trabalho no meu quebra-cabeça.
Se os meus filhos não estão se dando bem entre eles,  peço para se assentarem à mesa e passarem algumas horas no quebra-cabeça. Argumentos bestas, e desentendimentos são rapidamente esquecidos assim que eles começam a se concentrar na tarefa à mão... colocar aquelas peças juntas.
Se o meu marido está ao telefone, ele se assenta à mesa, distraidamente, encaixa as peças enquanto continua a conversa.  É algo que ele faz para passar o tempo.
Se eu preciso esperar 5 minutos para que a água do macarrão ferva... eu sento para trabalhar no quebra-cabeça.
Se eu não passei tempo suficiente com um de meus filhos, eu digo “vamos montar de quebra-cabeça um pouco.”, e trabalhamos juntos enquanto conversamos sobre os nossos dias.
A partir de agora, vou colocar como objetivo sempre ter um quebra-cabeça em minha mesa, e não apenas esperar por um momento de stress ou ansiedade para me fazer tirar um do armário. Acredito que, de sua maneira simples, os quebra-cabeças tornam a vida bem melhor.
Jigsaw Puzzle Anxiety
 Eu diria que é um desafio manter um quebra-cabeça sobre a mesa com duas crianças de 4 anos na casa.   Elas são fascinadas pelos quebra-cabeças e adoram tentar ajudar.  Meu filho de 4 anos veio até mim no começo dessa semana e disse “Eu  posso ajudar você, mamãe!”,  e despejou a vasilha inteira com as peças separadas para fora da mesa, junto com as peças que não haviam sido separadas.

Três dias de trabalho desceram pelo ralo.
Eu suspirei, e conclui que a minha amada mãezinha lá no céu deveria saber que eu perdi uma peça e queria que eu voltasse e olhasse de novo.
Se você nunca montou quebra-cabeças, dê outra chance a eles, e descubra por si próprio que grande “terapia” eles podem ser. E como eles podem acrescentar um pouco mais de algo bom à sua casa.
Obrigado por ler!
Xoxo
Lisa
Traduzido por Luiz Fernando Sousa Spósito

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Montar quebra-cabeças ajuda o seu cérebro?



Patti Shih, Dotouranda em Neurociência, Brown University

Os quebra-cabeças têm um efeito limitado no cérebro se comparado com outros enigmas mais desafiadores para resolver (ex.: quebra-cabeça*, palavras cruzadas, sudoku, etc.). Entretanto, é, certamente, melhor do que nada, e dependendo da personalidade da pessoa, pode ser utilizado como relaxante do stress. São muitos os benefícios para o cérebro, quando o quebra-cabeça é usado para esse último caso.

Montar quebra-cabeça envolve algum processo visual e especial, e habilidade de pesquisa visual para ser capaz de combinar várias peças. Também utiliza o processo de memorização, para relembrar como uma peça pode se relacionar com a imagem inteira. Entretanto, pensar muito não é um requisito necessário. A pessoa pode, também, tentar encaixar as peças experimentando uma a uma. Essa, logicamente, não é a melhor maneira de montar um quebra-cabeça, uma vez que demanda muito mais tempo. Além de exercitar menos o cérebro.

Entretanto, talvez o aspecto mais útil de um quebra-cabeça é que, para muitas pessoas, conseguir montar um por completo pode ser uma experiência relaxante. O fato principal é a não necessidade de ter que pensar muito, e que o objetivo da tarefa é bem direto – o benefício de dar ao cérebro a oportunidade de descansar. Concentrar nas peças do quebra-cabeça pode ajudar a mente a desviar o foco de pensamentos negativos e estressantes. Quando a pessoa está em um estado mental tranquilo, os níveis de cortisol e pressão sanguínea caem a níveis mais saudáveis. Uma vez que elevações crônicas de cortisol na corrente sanguínea podem prejudicar as habilidades cognitivas. Qualquer coisa feita para reduzir esses níveis só traz benefício ao cérebro.
Escrito em 9 de setembro de 2014

* aqui foi usado o trermo brain-teaser, que é outra palavra para quebra-cabeça. Imagino que esses sejam aqueles enigmas onde você precisa pensar mais para resolver, tipo problemas de lógica.

Irina Grabina, Aficionada por quebra-cabeça, especialista de Marketing Word-of-Mouth.

De acordo com a Alzheimer Society of Canada, montar quebra-cabeça é uma das muitas atividades que podem ajudar  a manter o cérebro ativo, podendo contribuir para a redução do risco de desenvolver a doença de Alzheimer.
Relatório anual da Ravensburger
O quebra-cabeça requer concentração e representa um desafio a ser superado. A agilidade mental é uma das principais razões para montá-los. A ginástica mental, e o treinamento do cérebro são interessantes tanto para as pessoas com 20 anos, como para aquelas com 60 anos. Quando perguntamos a alguém que não monta quebra-cabeças, o que os faria montar um, a ginástica mental é o aspecto mais mencionado.
Procurar pela peça correta, encontrá-la, e colocá-la em uma imagem que cresce constantemente requer concentração e criatividade, pensamento lógico e espacial. E treina todas essas habilidades. Como explica o bioquímico, especialista em aprendizagem, e campeão mundial de memorização, Dr Gunther Karsten: “Montar quebra-cabeça faz várias áreas do cérebro trabalharem juntas para assegurar que uma imagem completa surja de várias partes.. Analisar as peças do quebra-cabeça, a composição lógica e a combinação ajudam a treinar a memória de curto prazo e poder de recordação.”
Um estudo sobre quebra-cabeças adultos descreve o modelo do “corredor cerebral” em grandes detalhes. Como aqueles que montam quebra-cabeças como relaxamento, os corredores cerebrais são responsáveis por mais de 30% de todos os montadores. Eles consideram a montagem do quebra-cabeça um desafio, uma maneira de se manterem mentalmente aptos. Para os corredores cerebrais, os quebra-cabeças são divertidos, exigentes e emocionantes, e despertam sua ambição.
Escrito em 24 de dezembro



Eu não consigo lhe dar uma resposta científica para essa pergunta. Mas posso lhe dizer que eles são uma excelente distração para pessoas que sofrem com distúrbios de ansiedade, tal como relato aqui Jigsaw Puzzle “Therapy” is Great for Anxiety.*   Eles acalmam a mente, fornecem algo para nos mantermos focados, ajudam a desligar dos nossos problemas. Eu, definitivamente, recomendo montar quebra-cabeça para manter a sua saúde mental!
Escrito em 27 de dezembro

* Texto em inglês.

Traduzido por Luiz Fernando Sousa Spósito

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Hoje uma postagem sobre uma das minhas paixões - montar quebra-cabeça. Algumas dessas coisas não se aplicam ao meu caso, mas sei que, a muitos de vocês, sim. Os comentários abaixo de cada item/foto são da autora do post.

19 coisas que todo aficionado por quebra-cabeça sabe que é verdade

Preciso começar o meu QC.
Postado em Jun. 5, 2015, às 9:10.
BuzzFeed Staff

1.    Não há sentimento melhor do que abrir um novo quebra-cabeça e saber que você está prestes a ter DIAS de divertimento.















Não converse comigo, estou montando quebra-cabeça.



2.    Na verdade, quando seu vício é moderado, às vezes, você bola um plano sistemático para montar o quebra-cabeça antes de sair de casa pela manhã.

Fox












Tão relaxante.


3.    Chegar em casa depois de um longo dia e relaxar com uma bebida e o quebra-cabeça é a melhor maneira de passar a noite. (Vá fazer o seu quebra-cabeça se quiser.)



Venho esperando por isso desde as 10 horas da manhã.


4. Logicamente, o desesperado é aquele que não consegue ter a vida social de volta enquanto não terminar o quebra-cabeça.

BC / Netflix












Hoje é a festa de aniversário da Janice? AH NÃO.


5. Começar um quebra-cabeça, mas não ser capaz de encontrar a última peça da borda vai DEIXAR VOCÊ LOUCO.















Não me importa se vamos passar a noite toda aqui, nós VAMOS ENCONRTAR A PEÇA.


6. Apenas apaixonados por quebra-cabeças podem entender o êxtase de encontrar a peça certa na primeira tentativa.












OH DEUS, YES.


7. E a completa agonia de ter duas peças que se encaixam, tecnicamente, pois não é a combinação correta.



Quem você ACHA que é?


8. Se você tem um gato, você sabe que eles adoram quebra-cabeça tanto quanto você.



Deitando neles, sim. E atrapalhando todo o seu trabalho árduo. Definitivamente, repousando sobre a lista de presentes do Papai Noel.


9. Você sabe muito bem o que é sentir “dor de quebra-cabeça” – as dores nas costas e no pescoço que ocorrem quando você fica debruçado por muito tempo sobre ele.

NBC / Netflix















Estou com um problema sério, não vou poder ir trabalhar hoje.


10. Encontrar lugar para todos os seus quebra-cabeças é sempre um problema crescente.

Você não quer se livrar deles, pois pode querer montá-los novamente. Mas e aí, é sempre mais legal fazer um NOVO quebra-cabeça.


11. Quanto mais difícil de montar, melhor.



:Salivando:


12. Pode ser que você deixe os outros ajudarem na montagem, mas as chances são grandes de eles trabalharem nas partes que não deviam.

NBC

















EU FALEI PARA VOCÊ TRABALHAR NAS ÁRVORES. SÓ NAS ÁRVORES.


13. E se alguém mexe no seu quebra-cabeça sem sua permisão, FUCK THEM (melhor não traduzir).

Fox















TRAIDOR!


 14. Você odeia ouvir as palavras “você pode tirar o seu quebra-cabeça daí?”











Oh Deus, oh Deus, oh Deus.


15. Nada o irrita mais do que encontrar peças de um quebra-cabeça na caixa do outro.

DreamWorks












Alguém tem que pagar por essa injustiça.


16. Quando você chega em um determinado ponto, o quebra-cabeça deve ser terminado, não importa o quão tarde seja.

https://www.facebook.com/groups/432523120165604



















Eu cheguei até aqui, e agora? Não posso ir para a cama faltando só a parte do céu!


17. Se você está quase terminando o quebra-cabeça e sente que pode haver uma peça faltando, você fica LOUCO.

Paramount











Embora a expectativa seja mais agradável, quando você descobre qual peça se encaixa naquele lugar misterioso.


18. Logicamente, uma peça faltando é, literalmente, a pior coisa que pode acontecer.



















Caso não a encontre, o quebra-cabeça pode ficar eternamente incompleto, e você nunca morrerá feliz.


19. E finalmente, você faz isso tudo por aquele sentimento gostoso de satisfação de colocar a última peça em seu lugar.



Exceto pelo fato de agora você precisar de um novo quebra-cabeça.


Tradução: Luiz Fernando Spósito
Link para a reportagem original:



domingo, 12 de abril de 2015

O que funciona mais no aprendizado de uma nova língua?



Como devo lidar com o vocabulário? Fazer anotações é tão importante quanto praticar? Eu devo traduzir as palavras, ou tentar achar o significado pelo contexto?

Eu sei que mergulhar nas expresses idiomáticas, na cultura, na música e nos filmes ajuda bastante, mas, uma vez que o aprendizado de uma nova língua parece ser um processo diferente de aprender a primeira língua, o que mais posso fazer para melhorar meus estudos?



Resposta de GRUFF 



Gruff Davies, co-fundador do Kwiziq.com - the A.I. language coach! Falante do francês, espanhol, italiano e português.

Há um truque para aprender línguas que pode encurtar a jornada para a fluência de décadas, para meses. Também há algo que a maioria dos professores nem mesmo comentam com os estudantes pelo medo de eles nem começarem, mas, na verdade, é vital que você saiba.

Não há um truque, mas um conjunto de truques para ajudá-lo a aprender uma nova língua. Eu vou usar o francês como exemplo, mas esse conselho se aplica a todas as línguas.

1. Entenda a Jornada de Aprendizado da Língua

O aprendizado de línguas tem uma espantosa taxa de abandono. Meros 4% dos estudantes que embarcam em cursos de línguas nas escolas alcançam o nível básico de fluência depois de 3 anos. 96% não alcançam a fluência e/ou abandonam o curso completamente! As pessoas, quase sempre de maneira errada, concluem duas coisas a partir disso: Mito 1) Aprender uma língua é difícil, 2) As outras pessoas (não eles) são, naturalmente, boas com línguas. Uma das grandes razões citadas para o abandono é que os estudantes não sentem nenhum progresso. Um estudante com notas altas ao final do ensino médio visitará a França apenas para descobrir que não conseguirá ter uma conversa básica. As pessoas desistem porque têm um conjunto errado de expectativas.

O aprendizado de uma língua não é difícil. É, apenas, DEMORADO.

Vou usar uma metáfora que, espero, ajude a você pegar o jeito.















Penso que aprender uma língua seja como escalar uma montanha (uma montanha grande, mas fácil; do tipo que qualquer pessoa consiga escalar, desde que continue caminhando).



Aqui está o que, a maioria dos professores, não contam a você: Leva cerca de 600 horas, ou mais, de estudo para alcançar a fluência em francês (a menos que você já seja falante de uma língua de base latina – a assim chamada, língua romana). Pense nisto. Se (vamos dizer), na escola, você tem uma hora de aula de francês por semana, então, em 40 semanas, você terá estudado 40 horas. Você precisará de quinze anos, nesse ritmo, para se tornar fluente; sem contar todas as coisas que você esquece por causa dos espaços entre essas horas de estudo. (Línguas mais difíceis; como o russo, ou o mandarim; podem levar 1.200 horas!)



Por outro lado, se você estudar intensamente, você pode passar por essas 40 horas em uma semana! Você pode atingir a fluência em dez, ou doze, nesse ritmo. A maioria das pessoas não tem esse tempo todo disponível para alcançar esse nível de intensidade, mas, entender a jornada ajuda você a ser realista com relação ao que pode alcançar, para não deixá-lo desmotivado.



2. Intensidade é vital para aprender uma língua rapidamente.


Uma pancada dupla 1) Entrar fundo de cabeça no assunto permite a você alcançar as horas o mais rápido possível. 2) A memória falha, a menos que seja usada. Baixa intensidade de estudos (ex. o francês da escola) é ineficiente porque a intensidade dele é tão baixa que você acaba esquecendo uma grande parte daquilo que aprendeu. Assim, tente aprender com tanta intensidade quanto o tempo lhe permitir. 

Usando a minha metáfora da montanha, o terreno é gelado e escorregadio. Se você for muito devagar, você escorregará para trás tanto quanto fizer o progresso. Quanto mais rápido puder escalar, menos você escorregará para trás.

3. Seja gentil consigo mesmo

Eu usei a luz do sol nessa metáfora da montanha para lhe dar uma indicação de como é estar nesses níveis. Só quando alcançar o B1/B2 que a luz aparece e você começa a se sentir bem falando francês. Isso acontece por volta das 350-400 horas, caso não tenha estudado uma segunda língua antes.

Espere bastante neblina e confusão na primeira centena de horas. Isso é completamente normal, você não é burro. TODOS se sentem desse jeito, mesmo as pessoas que parecem ter muita habilidade com línguas. A diferença é: todos os que já passaram por isso, e alcançaram a luz do sol, esperam passar por esse estágio. Isso não os atrapalha, pois sabem que vão alcançar aquele estágio eventualmente. Então, caso se surpreenda dizendo coisas do tipo: "eu sou uma porcaria no francês", ou "eu sou burro"; pare por um instante e lembre-se de que você não é nem um, nem outro, e você conseguirá se mantiver a perseverança.

4. Prepare-se para a jornada

Se você é um iniciante, acredito que seja muito importante absorver os sons da língua antes de começar a estudá-la seriamente. Eu escuto horas de áudio (audio books são ótimos para isso) sem tentar entender o conteúdo, mas, ainda assim, escutando os sons da língua atentamente para internalizá-los. Eu, geralmente, me pego, depois de algum tempo, tentando, como um bebê, balbuciar aquelas palavras. O que pode parecer um pouco idiota. O que me leva ao próximo conselho.

5. Praticar pode parecer estúpido

Ser constrangido é o seu grande inimigo. Você não conseguirá falar uma língua estrangeira, sem se sentir estúpido em algum momento. Você precisa superar isso. Precisará torcer a sua boca em novas formas muito estranhas, que farão com que você se sinta uma caricature – você vai falar e não será compreendido; vai ouvir e não entenderá. MUITAS VEZES. Isso é comum, e, na verdade, necessário para aprender. Se parar para pensar – o que há demais nisso? Então, você parece estúpido. Quem se importa?


Se, por outro lado, você se der um crédito toda vez que se sentir estúpido, você pode mudar a situação. Mentalmente, dê a você uma pequena estrela de ouro toda vez que se sentir estúpido pois, esses momentos, são momentos de aprendizagem. Sentir-se estúpido e, na verdade, um sinal de progresso, ou, o momento anterior ao progresso.

6. Descubra onde está (e, assim, qual será o próximo estágio)

Eu aconselho, com muita convicção, que você verifique o seu nível de conhecimento usando o CEFR levels (https://www.french-test.com/blog...) já que são agora um padrão por toda a Europa.

Caso queira descobrir, aproximadamente, em qual nível está o seu francês, você pode fazer o nosso teste aqui:



7. Trace objetivos


Planeje a sua jornada de aprendizagem da língua por etapas. Você já viu o quão longa é a jornada, então, tal como a escalada de uma montanha, é aconselhável planejar a jornada em etapas.

Traçar os objetivos (e medir o progresso em relação a eles) é uma das ferramentas mais efetivas do seu arsenal de aprendizagem. Eu recomendo traçar objetivos de curto prazo e de longo prazo


Objetivos de curto prazo podem ser tão simples quanto saber o tempo de estudo dedicado em cada semana. Se você (digamos) quer estudar uma hora por dia, então faça sete quadrados em uma folha de papel e, para cada hora dês estudo, marque um quadrado. Isso é bom, e você estará medindo o progresso, o que é visível para você, mesmo que não o esteja sentindo.



Trace objetivos em longo prazo, como passar para um nível específico do CEFR.



É muito vantajoso se cadastrar para os exames DELF / DALF, que são os exames do francês equivalentes ao CEFR:





Há diplomas similares para a maioria das línguas.


8. Repetir, Repetir e Repetir


A repetição é, absolutamente, vital para aprender a maioria das coisas, e, especialmente, importante quando se está aprendendo uma língua. Parece entediante, mas não precisa ser. Mais sobre isso daqui a pouco.

9. Recordar é mais importante do que revisar

Praticar a lembrança já se provou ser 300% mais eficiente do que revisar algo. Em outras palavras, você deve se desafiar a "produzir" o francês, não apenas compreendê-lo. A metáfora que uso para a memória é um extenso campo gramado. Você larga uma porção de coisas nele, mas, para ficar fácil de encontrá-los de novo, você deve praticar a recuperação deles. Toda vez que você faz isso, marca o caminho para aquela coisa que está recordando, ficando mais fácil de encontrá-la.

Tudo o que fizer para praticar a recordação, vai ajudá-lo com o seu francês.

Caso consiga, a melhor maneira é, logicamente, praticar a fala com um falante nativo do francês.

Nosso site, https://www.french-test.com/ oferece milhares de testes, os quais são adaptados, automaticamente, a você e medirá o seu nível de progresso em cada fase.

Tudo isso está sendo construído para levá-lo ao meu truque final para aprender uma língua.

Se você combinar esses tópicos (especialmente o 8 e o 9) haverá uma conclusão óbvia: a maneira mais fácil de aprender uma língua que eu encontrei é...

10. Rotina de textos de aprendizagem em francês

Essa é a minha melhor dica, e acredito ser, singularmente, o método mais efetivo para aprender uma língua com rapidez

Encontre um texto que você possa aprender em uma semana (você deve ter o áudio dele – isso é essencial). 

Pegue um texto de um assunto que você ache interessante, no nível certo para você (ex. um pouco desafiador, mas não muito difícil). Se for um iniciante, pegue um texto curto – algumas sentenças de cada vez. Revistas em quadrinhos são muito boas para iniciantes (coisas como Peanuts), que você pode fazer o pedido online.

À medida que for progredindo, você pode pegar textos maiores e aprender alguns parágrafos, ou páginas de diálogo por vez. Gosto de usar textos de filmes ou teatros, ou livros que gostava quando era criança, os quais são muito bons também, pois a linguagem é muito simples no geral.

Ouça o áudio, pelo menos, dez vezes (repetição) antes de começar a tentar a aprendê-lo. Comece a depositá-lo na memória (praticar a recordação). Você achará isso muito difícil no começo, e descobrir o quanto é importante praticar a recordação.

Dê uma semana de prazo para aprender o texto. Por quê? Porque, depois de sete noites de sono, algo mágico acontece...

11. Durma

O sono é vital para a memória. Na verdade, a pesquisa mostra que a hora do dia que você dorme não é importante. Uma soneca durante o dia é muito eficiente. Não se prive do sono por muito tempo depois de aprender, ou praticar algo. Quando você dorme, seu cérebro começa a construir estruturas para transformar a memória de curto prazo, em memória de longo prazo. Pode ser que seja diferente para você, mas, eu descobri que, cerca de sete noites de sono, é a quantidade necessária (com as práticas diárias) para que um texto seja recordado sem esforço.

12. Exercite

Temos a tendência de pensar em nosso cérebro separadamente do nosso corpo, mas, logicamente, é parte dele. Se você exercitar, alcançará imensos benefícios mentais. Pode parecer bizarro, mas, manter os exercícios pode ajudá-lo a aprender uma língua. Você pode até combinar os dois esforços – ouvindo um áudio de francês enquanto malha, corre, ou caminha.

13. Aprenda como aprender

Eu descobri que cada hora investida na aprendizagem do estudo teve um retorno muito superior na minha velocidade de aprendizagem de um conteúdo efetivo. Há coisas comuns que você pode aprender sobre como estudar que funcionam para todo mundo, e, também, há os seus truques pessoais, que podem ser desenvolvidos. Isso tem a ver com dar tempo para refletir sobre o que funciona melhor com você e pensar em como melhorar aquilo que está fazendo.

Espero que tenha ajudado!

Tradução: Luiz Fernando Sousa Sposito


Link para a reportagem em inglês: